Seguidores

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

MOURA ENCANTADA

imagem aqui


Moura encantada

Um dia sonhei com um castelo

Eu era uma moura encantada,

Sonhava com teus olhos negros

Esperava apaixonada…



No dia em que tu partiste

Jurámos amor eterno,

Esperei cada vez mais triste,

Passou o Verão e o inverno



Via o sol e via a lua,

Via uma e outra vez,

Via os meses a passar

Esperava mês após mês.



Sonhava com teus olhos negros,

Com teus beijos, doces, quentes,

Entre sonhos e desejos

Soltava suspiros ardentes!



Teus olhos doces e meigos

Entravam nos meus, e assim

Tua alma, minha alma

Fundiam-se dentro de mim.



Boca rubra de mil beijos,

Pétalas de rosa, sobre a minha,

Neste jardim de saudade,

Eu esperava tão sozinha…



Durante o calor da batalha,

Tua alma por mim clamou,

Papoilas fizeram a mortalha

Quando o teu corpo tombou.



Passaram os dias, os anos

A juventude murchou,

Os cabelos branquearam

A minha vida acabou.


Idália Henriques

3 comentários:

Cris Henriques disse...

Mammy,

eu gosto muito deste poema. Embora seja meio triste é bonito. Faz lembrar a Florbela Espanca. :)

Beijos,

Cris Henriques

http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

#*Marly Bastos*# disse...

Às vezes esquecemos que a vida não espera, e esperamos... e a vida passa.
bjks doces

Idalia Henriques disse...

Pois é Marly. Ás vezes deixamos a vida passar, à espera de...nada. E o encanto dá lugar ao desencanto.
Beijo do coração.

Tradutor

Mapa dos Visitantes

Falando Com Os Meus Botões